CalculadoraO Engenheiro de Controle de Qualidade japonês Kaoru Ishikawa (Tóquio, 1915 - 1989) foi o responsável pela criação de um método que mudou a maneira de como as pessoas pensam sobre o controle de qualidade, as 'Sete Ferramentas de Controle de Qualidade'. Com esse conjunto de procedimentos, as empresas poderiam melhorar etapas de produção, identificar problemas e priorizá-los e definir estratégias para contornar os contratempos. Confira as sete ferramentas da qualidade:

Diagrama de Pareto

O gráfico de pareto é um recurso gráfico que ajuda na visualização mais efetiva de um problema para transformá-los em diversos problemas menores. Ajuda a entender a importância de um problema e a classificação de melhoria dos mesmos. Os dados são pesquisados e colocados em uma lista de verificação e com o gráfico de pareto é possível visualizar quais problemas são realmente importantes.

Esse diagrama possui um gráfico de barras que demonstra a frequência que um problema ocorre em ordem decrescente visando reduzir possíveis perdas. Segundo essa ferramenta, boa parte das perdas tem poucas causas e a maioria são causadas por motivos triviais.

Diagrama de Causa e Efeito

Esse diagrama também recebe o nome de Diagrama Espinha de Peixe ou Diagrama de Ishikawa e refere-se a relação de um efeito e todas as causas que contribuem para isso. O efeito fica a direita e as causas desse efeito ficam a esquerda. Um efeito pode ter diversas causas em várias categorias, mas elas podem ser divididas entre os 6M: Método, mão de obra, material, meio ambiente, medida e máquina. Pode-se usar também os 4P: política, procedimentos, pessoal e planta.

Histograma

O histograma é uma das ferramentas da qualidade em que é possível verificar com que frequência os dados da medição acontecem. Ele faz a representação dos dados utilizando um gráfico de barras e nele a espessura da barra representa um intervalo e sua altura refere-se sobre a quantidade de vezes em que ocorre. É importante criá-lo com cuidado analisando o número de barras, sua espessura e altura.

Gráfico de Controle

Uma das principais ferramentas da qualidade é baseada em estatística. Ele é usado para verificar a estabilidade de um processo e suas variações.

Diagrama de Dispersão

Diagrama usado para analisar duas variáveis ou uma relação de causa e efeito. Com uma variável no eixo vertical e a outra no eixo horizontal. Também pode ser usado para verificar o efeito de dois tratamentos ou fazer análises tipo antes e depois. Ele analisa os pontos formados no gráfico.

Fluxograma

O fluxograma ajuda na visualização da estrutura e funcionamento de uma empresa. Por mais que se pareça com um organograma, ele possui uma característica mais dinâmica com um início, meio e fim. Alguns símbolos são usados para determinar situações no fluxograma:

- Um círculo alongado indica início e fim de um fluxograma;

- Setas indicam sentido;

- Ações realizadas são colocadas em retângulos;

- Os losangos apresentam alternativas.

Lista de Verificação

Essa ferramenta auxilia na criação de um quadro com dados para uma análise. Cada empresa deve procurar uma forma de computar esses dados anotando os responsáveis e as datas em que as medições ocorreram. Ela é importante para saber que todas as etapas de um processo foram realizadas devidamente.

Com esses passos, Ishikawa esperava que o controle de qualidade fosse facilitado. O engenheiro estipulou que pelo menos 95% dos problemas em processos industriais poderiam ser identificados com os sete passos. O japonês não foi o criador de todos os métodos, mas os uniu para que o controle de qualidade pudesse ser um procedimento mais dinâmico.